Arquiteto Versátil: Um Café da Manhã Nada Comum - Cap. 1

20 de novembro de 2015

Um Café da Manhã Nada Comum - Cap. 1


Sentados a mesa, Laura observava atentamente Douglas, seu esposo, enquanto tomava seu café da manhã.

O que está lhe incomodando, Du? Perguntou Laura, levando a xícara de porcelana com chá a boca.

Douglas manteve-se quieto quase durante todo o tempo em que Laura esteve tomando seu café.

Você está desta maneira desde o momento em que acordou. Conte-me o que aconteceu.

Douglas, brevemente mexeu os lábios, como se fosse expressar o que realmente tinha acontecido, mas logo voltou a permanecer quieto.

Então, de repente, levantou-se da mesa e se dirigiu a sala.

Dentre os diversos móveis que havia no ambiente, havia uma velha estante repleta de livros, cadernos, papeis... Todos velhos e empoeirados.

Diante da estante enfiou a mão em um dos bolsos de sua calça, onde estava sua carteira. De dentro dela, retirou uma velha chave repleta de adornos, em seu designer, que com o tempo perdeu sua cor dourada e revelou o nobre metal em que foi moldada.

Então levou a chave a uma fechadura de uma das portas que havia na estante. Ao abrir, havia uma velha caixa de madeira, bastante simples para o rigor que foi guardada.

Ao levantar a tampa da velha caixa, seus olhos se encheram de alegria, ao ver que seu conteúdo ainda estava intacto, mesmo depois de tanto tempo guardado.

Laura permaneceu calada, somente, observando cada atitude de Douglas.

De dentro da caixa, Douglas, retirou diversas fotos, um velho caderno com capa de couro envelhecido, entre outros objetos. Foleou o velho caderno, com cuidado, como se estivesse procurando algo. Algum tempo depois.

Enfim, encontrei, disse Douglas, em voz alta. Laura até se espantou com sua reação repentina realizada por Douglas.

O que foi que você encontrou, Du?

Nossa velha lista de sonhos que criamos a fim de realizarmos juntos todos eles, disse Douglas.

Laura ao ouvir as palavras “lista de sonhos”, expressou imediatamente um gesto facial de incompreensão e esquecimento a Douglas.

Claro que você se lembra, Laura, falou Douglas, um pouco triste com aquela expressão.

Refresque minha memoria, Du, disse Laura, tentando amenizar sua expressão de esquecimento.

Neste exato momento, ouviu-se passos, descendo as escadas. Era Carla e San, estavam apressados para irem ao colégio.

Laura pensou silenciosamente, há algo de errado aqui nessa casa hoje. Douglas acordou estranho, e meus filhos estão todos apressados para ir ao colégio. O que me espera mais tarde?

Os dois sentaram a mesa. Carla imediatamente começou a se servir, já San ficou a espera de sua mãe.
Enquanto tomava café Carla pergunto: quem irá nos levar para o colégio? Neste momento o silencio tomou conta do ambiente.

Eu levo, disse Laura.

Carla percebeu que seu pai não havia tocado no café da manhã e estava extremamente calado. Mas San, por está agitado para ir ao colégio, em seu primeiro dia, em um colégio novo, não percebeu nada.

Ao termino do café, Laura subiu as escadas em companhia de seus filhos. Carla e San entraram na primeira porta, logo depois da escada. Já Laura seguiu pelo corredor até seu quarto para pegar sua bolsa que estava pendurada por trás da porta do quarto. Ao descer as escadas, Carla e San já estavam a sua esperava, próximo a porta com suas respectivas mochilas. Então, Laura disse em voz alta, Du, estamos indo, volto logo para continuarmos nossa conversa.

Enquanto Laura levava as crianças para o colégio, Carla perguntou: o que foi que aconteceu com Douglas, para ele, não tocar em seu café e nem falar com a gente durante todo o café da manhã, mãe?

Laura estava com a mesma dúvida que Carla, mas disse para ela as seguintes palavras:

Não se preocupe Carla, não é nada de mais, seu pai está somente pensativo com algum fato que ocorreu no passado, conosco. Mais tarde você saberá o que é com detalhes. Eu também, pensou Laura, silenciosamente.

Enquanto isso, Douglas, em casa, manteve-se concentrado no velho caderno e nas outras coisas que havia dentro caixa.

Ao chegar, Laura, imediatamente se dirigiu a cozinha. Ao entrar na cozinha deparou-se com Douglas sentado no chão da cozinha com um monte de coisas espalhada a sua volta. Havia vários objetivos relacionados a alguns lugares do mundo que os dois gostavam. Além disso, havia diante de Douglas, um mapa amarelado repleto de anotações e marcações.

Então Douglas, irá me contar que lista é essa que você está encucado?

Para quem gostou do conto e quer que ele continue, Curta, Comente, e Compartilhe em suas Redes Sociais.

Não deixe de nos acompanhar, no Facebook, Instagram, Twitter, e também se inscreva no nosso Canal do Youtube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário