Arquiteto Versátil: Procura-se um Arquiteto - Cap. 3

15 de janeiro de 2016

Procura-se um Arquiteto - Cap. 3


Antes de ler este artigo recomendo que leia os artigos: Um velho sonho esquecido pelo tempo – Cap. 1, e o A Origem daLista de Sonhos – Cap. 2. Agora sim você poderá continuar a ler essa história.

Sobre a cama estava Douglas, que acabara de acordar. Laura já havia levantado fazia alguns minutos. Douglas, ainda deitado, olhando para a janela pensou: hoje será um grande dia, antes de terminar, levantou da cama e foi ao banheiro. Depois, dirigiu-se ao quarto das crianças, abriu a porta e disse: meninos, já está na hora de acordar. Douglas teve que chamar mais algumas vezes para que eles realmente levantassem. Então Douglas desceu as escadas e foi até a cozinha onde estava Laura, preparando o café.

Bom dia, disse Laura, sorrindo.

Douglas retribuiu o sorriso e deu-lhe um beijo de bom dia. Logo depois sentou a mesa.

Poucos minutos depois, a família já estava reunida a mesa. Ao terminar o café Laura foi levar as crianças no colégio e Douglas foi até o escritório para pegar suas anotações sobre o que pretendia ter em sua residência para mostrar ao arquiteto.

Enquanto Laura levava Carla e San para o colégio, Carla perguntou: Douglas já conseguiu encontrar um arquiteto para criar o projeto da casa, mãe?

Ainda não, disse Laura não desviando os olhos da estrada. Ele me disse antes do café da manhã que ia hoje selecionar alguns arquitetos para verificar seus preços e as possibilidades para iniciarmos a realização deste sonho.

Legal, disse Carla.

Douglas, no escritório, com todos os papeis em mão, pegou o telefone e começou a fazer algumas ligações para alguns amigos.

Alô Samanta, tudo bem? Gostaria de sua ajuda. Você ainda tem o número daquele arquiteto que fez a exposição em 2010?

Sim, tenho sim.

Tem como me passar?

Claro. Só um instante... está aqui... 99...

Obrigado disse Douglas, desligado o telefone.

Depois de ligar para alguns amigos ele reuniu 5 números de telefones de arquitetos em potenciais que ele havia gostado de seus projetos. Então decidiu ligar para cada um deles para saber seus valores e marcar uma consultoria.

O primeiro Arquiteto que ele ligou chamava-se Charles. Alguns minutos no telefone e ele já havia marcado reunião com alguns Arquitetos.  Claro que alguns dos arquitetos que ele entrou em contato não eram especialistas em projeto residência, por isso, os descartou inicialmente, mas poderiam ser requisitados posteriormente, um deles era um paisagista muito famoso e o outro, um decorador. Um dos arquitetos que ele entrou em contato estava com a agenda livre pela manhã então ele foi até o escritório.

Ao chegar ao escritório teve uma boa impressão, o ambiente continha as cores e a sinuosidades da logomarca da empresa, além disso, o ambiente era bem iluminado e ventilado. Ao entrar foi recepcionado por uma linda jovem chamada Vanessa, que desde o momento em que ele chegou o fez sentir-se em casa, ofereceu café, água...

Minutos depois a mesma jovem o convidou para entrar em uma sala. Ao entrar, a sala estava vazia, e isso incomodou Douglas, a princípio. A jovem que tinha pedido que ele entrasse na sala fechou a porta atrás dele e se dirigiu a cadeira atrás da mesa do escritório afrente de Douglas.

Bom dia novamente, Douglas, como posso ajudá-lo? Claro que já conversamos um pouco pelo telefone, no entanto quero saber mais sobre o que pretende fazer para que eu possa lhe dizer como poderei lhe ajudar.

Neste momento, Douglas percebeu que a jovem que tinha lhe recepcionado era a mesma jovem que tinha falado com ele pelo telefone e para seu espanto também era a arquiteta. Então por alguns minutos ficou em silêncio.

A arquiteta vendo que Douglas havia ficado estranho com aquela situação, disse: tudo bem Douglas, sou a arquiteta e também recepcionista, telefonista etc. Faço isso porque gosto de ter um contato mais próximo com os meus clientes, para saber seus sonhos, suas pretensões projetuais e muito mais.

Depois de um bom papo com a Arquiteta, Douglas saiu do escritório muito alegre com o que poderia ser feito e os valores possíveis relacionados ao serviço.

Depois do almoço foi encontrar com mais dois arquitetos, Filipe e Charles.

Dentre os arquitetos visitados Douglas selecionou dois: a Vanessa e o Charles, por suas experiências projetuais e a forma que eles o abordaram, mas os valores pedido por eles era um pouco salgado para o que ele pretendia, no entanto, o valor pago seria pequeno relacionado ao valor a ser entregue por eles em forma de projeto.

Anoite contou tudo para a família o que havia acontecido. Depois de uma breve conversa lançou a seguinte questão: qual deles mais lhes agradou?

Carla se adiantou e disse: quero o Arquiteto Charles.

E você San qual deles mais lhe agradou?

Silêncio.

Laura vendo que San não ia falar, então disse: acho que a Arquiteta Vanessa será a melhor, por diversas questões como: o preço agradou, a sua postura relacionada ao cliente, também e além disso sua experiência projetual mesmo sendo menor que a do Arquiteto Charles, não desagrada, na verdade seus trabalhos tem muito a ver com o que desejamos.

San ouvindo aquelas palavras disse: concordo.

Então está decidido disse Douglas Amanhã falarei com a Vanessa.

Tudo bem, mas cuidado eh!

Cuidado? Hum!? Ficou com ciúme foi? Não fique assim. Você sabe que meu coração é somente seu e de mais ninguém, dando um beijo e um abraço carinhoso.

Mais uma etapa concluída, pensou Douglas. Amanhã daremos início, enfim, a processo projetual da nossa casa dos sonhos. Uhuu!

Gostou do conto e quer que ele continue, Curta, Comente, e Compartilhe em suas Redes Sociais.

Não deixe de nos acompanhar, no FacebookInstagramTwitter, Google Plus e também se inscreva no nosso Canal do Youtube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário