Perspectivas: Tipos Utilizados no Curso de Arquitetura


Você conhece os tipos de perspectivas utilizadas no curso de arquitetura? Caso não conheça mostrarei neste artigo os tipos mais utilizados. Mais a frente mostrarei alguns exemplos possíveis que você poderá desenvolver a partir de cada um deles.

Basicamente no curso de arquitetura utilizamos três tipos de perspectivas: axonométrica, obliqua e cônica. Cada perspectiva possui diversas variações em seu processo construtivo, no entanto no curso de arquitetura algumas variações não são muito utilizadas no dia a dia, mas mesmo assim aprendemos utilizá-las no curso.

Perspectiva Axonométrica



Esse tipo de perspectiva também é conhecida como perspectiva paralela e é muito utilizada tanto na arquitetura como na engenharia devido a sua simplicidade construtiva. Além disso, como esse tipo de perspectiva busca mostrar com exatidão as dimensões correspondentes ao objeto desenhado, permite ao observador maior facilidade para identificar seus valores dimensionais.

A perspectiva axonométrica possui 3 variações: isométrica, dimétrica e trimétrica. No entanto das três possibilidades a mais utilizada tanto na arquitetura quanto na engenharia é a isométrica, no entanto, tenho que ressaltar que no dia a dia como arquiteto esse tipo de perspectiva é pouco usual. Mas como tudo há exceções você poderá se deparar em seu dia a dia com um projeto que necessitará de sua representação, portanto não a descarte de seu repertório.

Para poder criar uma perspectiva isométrica basta você ter um esquadro com ângulo de 30° para poder desenhar as linhas oblíquas, o resto é moleza porque todas as linhas são paralelas e as medidas são exatamente como está no projeto.

Não se preocupe farei um artigo mostrando passo a passo como você deve construir uma perspectiva isométrica.

Perspectiva Oblíqua



Já com relação a está perspectiva, também conhecida como perspectiva cavaleira, sua principal característica é que a face frontal do objeto desenhado será representada sempre de forma paralela ao observador e com exatidão de suas dimensões.

Já as demais faces do objeto é possível representa-la a partir de 3 ângulos: 30°, 45° e 60° e estes ângulos são responsáveis por reduzir a dimensão original da face a ser desenhada. Os valores respectivos a cada ângulo são: 1/3, 1/2, 2/3. Para usá-los basta multiplicar a dimensão a ser desenhada por sua respectiva fração correspondente ao ângulo que você deseja representar.

Para exemplificar, vamos imaginar que vamos desenhar um cubo com 90cm de lado, no caso a face principal terá 90cm x 90cm, no entanto as demais faces ao representa-las no ângulo de 45° seu valor resultante do cálculo seria 45cm então a face terá as dimensões de 90 cm x 45cm.

Perspectiva Cônica



Da mesma maneira que as demais perspectivas, essa também possui 3 variações: 1 ponto de fuga, 2 pontos de fuga e 3 pontos de fuga, no entanto este tipo de perspectiva é a única que representa com exatidão como o olho humano ver o mundo, por isso ela é a mais utilizada na arquitetura.

Cada uma das perspectivas cônicas, também conhecidas como perspectiva exata, possui regras próprias para sua construção e difere das demais já mostradas.

A principal característica desse tipo de perspectiva é que as linhas que antes eram paralelas agora são desenhadas de forma oblíqua tendo origem em um PF (ponto de fuga), no entanto as linhas referentes à altura e a largura permanecem sem alteração.

Para que você possa saber como desenvolvê-las terei que criar um artigo especialmente para cada uma delas. No entanto, tenho que advertir que a perspectiva de 3 pontos de fuga é pouco usada na arquitetura, mas há casos especiais que ela é utilizada. Por exemplo, ao desenhar uma perspectiva de uma cidade este tipo de perspectiva se encaixa perfeitamente e além do mais ela acaba valoriza a paisagem representada por ela. Caso você não saiba esse tipo de perspectiva também é utilizada na criação das histórias em quadrinhos (HQs).

Ao longo desse artigo busquei mostrar de forma rápida os tipos de perspectivas mais utilizadas no curso de arquitetura. Caso você queira aprender como desenvolver cada uma das perspectivas recomendo que continue acompanhando o Arquiteto Versátil pelas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, sugestão ou queira complementar o que foi descrito neste artigo basta deixar nos comentário.

Até a próxima.

Comentários