Manual do Analysis Sol-Ar (Guia Completo)


Você já ouviu falar no software chamado Analysis Sol-Ar? Caso não tenha ouvido falar, não se preocupe. Neste artigo tutorial irei te mostrar em detalhes como o Analysis Sol-Ar funciona. Este software será muito útil durante seu processo criativo. Portanto leia com atenção este artigo. 


Analysis Sol-Ar – Interface



Ao abrir o Analysis Sol-Ar você irá se deparar com esta imagem. Observe que somente algumas opções estão ativas.

Leia Também: O que é Carta Solar?


Para que você possa começar a usar o Analysis Sol-Ar você precisa escolher uma das 16 cidades possíveis fornecida pelo software. A partir de sua escolha será habilitado as demais funções que estavam inertes. 

Como exemplo, eu acabei escolhendo a cidade de Maceió.


A partir da minha escolha o Analysis Sol-Ar gerou a carta solar da cidade. Essa mesma carta solar pode ser usada em outras regiões que esteja próxima a cidade de Maceió. 


Se você desabilitar a função trajetória solar e clicar depois em atualizar carta solar, o resultado mostrado será este. Neste caso ele só mostrará o transferidor. 


No entanto se você fizer o mesmo, mas agora, com a função transferidor, o resultado será este daqui. Neste caso você terá somente a trajetória solar da cidade de Maceió. 


No entanto recomendo que deixe os dois ativos. Eles serão muito importantes para as próximas etapas. 


Na frente da palavra transferidor temos a função orientação. Neste espaço você irá determinar em que ângulo está a fachada que será analisada e desenvolvido os brises.

Leia Também: Estilo Industrial e suas Principais Características

Como exemplo eu determinei que a fachada estaria a 45° graus do norte (azimute). Depois mostrarei na prática como funciona. 



Abaixo temos a função ângulo de referência. Esta função permite que você escolha que tipo de ângulo (interno ou externo) quer utilizar para determinar a largura dos brises.

No entanto ao escolher o ângulo externo haverá uma grande mudança. No caso, o zero que antes estava no centro agora passará a está no ponto mais externo da carta solar.

Leia Também: Estudo da Forma: Árvore de Natal

Para que não haja complicações recomendo que utilize o ângulo interno.


A partir de agora falarei sobre os ângulos que irá te auxiliar durante o processo criativo dos brises. 

O primeiro ângulo a ser analisado é o alfa. Este ângulo gera o brise horizontal e determina a sua largura. 

Para que você possa criá-lo precisará habilitar a função ângulo alfa 1 e depois determinar um valor para ele. 


Como exemplo determinei que o ângulo alfa 1 seria de 30° graus. Depois cliquei em atualizar carta solar para poder gerar o brise horizontal. 

Como você pode ver, o brise horizontal está representado por uma linha cinza curva que surgi no leste e vai até o oeste. 


O segundo ângulo a ser analisado é o beta. Este ângulo gera o brise vertical. 

Para que você possa criá-lo precisará habilitar o ângulo beta direita 1 e o ângulo beta esquerda 1 e determinar um valor para eles. Claro que você não precisa habilitar sempre os dois ângulos para poder criar este tipo de brise. 


Como exemplo, determinei que os ângulos beta também seriam de 30° graus. Depois cliquei em atualizar carta solar para poder gerar o brise vertical. 

Como você pode ver, o brise vertical está representado por duas linhas cinza diagonais que surgi no centro e vai até a borda da carta solar.


O terceiro ângulo a ser analisado é o gama. Este ângulo é utilizado para determinar o comprimento do brise horizontal. 

Para que você possa criá-lo precisará habilitar o ângulo gama direita 1 e o ângulo gama esquerda 1 e determinar um valor para eles. Claro que você não precisa habilitar sempre os dois ângulos, no entanto eu recomendo que faça isso. 

Como exemplo, determinei que os ângulos gama seriam de 40° graus. Depois cliquei em atualizar carta solar, novamente, para poder gerar as projeções dos ângulos gama sobre a carta solar. 

Como você pode ver, o ângulo gama está representado por duas linhas cinza curva que surgi no norte e vai até a linha central (leste/oeste) da carta solar. 


Falarei agora sobre a função máscara. Esta função é utilizada para que você possa marcar a área que estará sendo protegida totalmente ou parcialmente pelo brise criado por você. 

Para que você possa aplicar esta função sobre a carta solar, primeiramente, habilite a função desenhar reta e depois habilite a função preencher. Nunca deixe de habilitar as duas funções. Claro que você pode usar somente uma delas, mas será mais trabalhoso para gerar a máscara sobre sua carta solar. 

Depois você deve selecionar ou a opção total (vermelho) ou a opção parcial (amarelo) e clicar sobre a área que deseja preencher com a cor e a função almejada. 


Como exemplo, utilizei o ângulo alfa de 30° graus e os ângulos gama de 40° graus para poder aplicar a máscara. 

Como você pode ver a máscara revela que o brise horizontal criado somente protege o espaço preenchido em vermelho e todo o resto em amarelo está exposto ao sol. 

Portanto para que ele possa melhor proteger do sol seria preciso fazer alguns ajustes. 


A partir do momento em que você ativa a função temperatura, você poderá escolher entre três opções.


A primeira opção (temperatura) é simples. Ela basicamente revela as temperaturas solares de uma região em diferentes horários e meses. 


A segunda opção (radiação global horizontal) revela a radiação global sobre a região. 

Para gerar este valor é necessário somar a radiação vinda direta do sol mais a radiação difundida pelas partículas e gases da atmosfera. Como fazem isso, eu não tenho a menor ideia. 


A terceira opção (radiação direta normal) revela parte da radiação direta vinda do sol menos a radiação difusa. 


Abaixo você terá acesso ao botão chamado legenda. 

Ao clicar nele você terá acesso a cores e suas respectivas temperaturas. 


Há legenda também para as outras opções do campo temperatura. Portanto recomendo que confira pessoalmente se for de seu interesse. 

Para poder sair do campo legenda basta clicar no botão fechar legenda. 



Na frente do botão legenda você poderá selecionar em que período você quer analisar as temperaturas solares. Neste caso as duas opções são as seguintes: até 21 de junho e após 21 de junho. 

Como você pode ver há uma pequena diferença entre elas. No entanto, recomendo que veja o que ocorre com a carta solar de outras cidades. Tenho certeza que irá te surpreender. 


Através do Analysis Sol-Ar você também terá acesso a rosa dos ventos. Ela te ajudará a encontrar a direção dos ventos predominantes de uma determinada cidade ou região. 

Ao clicar no botão rosa dos ventos, logo abaixo do botão atualizar carta solar, irá gerar a rosa dos ventos da região que você escolheu anteriormente. 

No meu caso, a rosa dos ventos gerada é da cidade de Maceió. 

Como você pode ver a rosa dos ventos possui não só os principais pontos cardeais (norte, sul, leste e oeste) como os secundários (nordeste, noroeste, sudestes e sudoeste). Cada um deles possui um retângulo com quarenta quadrados, sendo 10 para cada estação do ano (primavera, verão, outono e inverno). 


O retângulo que possui mais quadrados coloridos corresponde a direção que possui maior velocidade do vento. 

Para tornar mais preciso seu processo criativo o Analysis Sol-Ar também fornece informações sobre a ausência de vento nos diferentes turnos do dia. Observe com cuidado esses dados. 


Abaixo do botão rosa dos ventos você poderá escolher duas opções. 

A primeira está relacionada a velocidade predominante dos ventos que foi tratada anteriormente e a segunda opção está relacionada a frequência de ocorrência. Neste caso a segunda opção irá te mostrar a direção dos ventos predominantes. 

A opção frequência de ocorrência também funciona da mesma forma que a primeira. Quanto mais quadrados coloridos tiver um determinado retângulo, maior será a frequência dos ventos na direção indicada. 

Mas é preciso também levar em consideração que não adianta ter somente mais vento é necessário que ele seja agradável ao usuário. 

No caso da direção leste o vento predominante ocorre nos períodos da primavera e do verão. Isso quer dizer que os ventos serão mais quentes. Isso não é um bom sinal. 

Já a sudeste que é realmente a direção dos ventos predominantes na região de Maceió, é possível dizer que todas as estações há ventilação, no entanto, no verão e no outono a quantidade de vento é menor. 

Também é possível considerar como uma das direções favoráveis para a criação de aberturas para a entrada de ventilação a direção sul. 

Como você pode ver através da rosa dos ventos, há vento em quase todas as direções. No entanto ocorre com diferente quantidade e estações do ano. 

Veja, agora, o vídeo abaixo 

Caso tenha gostado do conteúdo, curta, compartilhe e inscreva-se no canal

Para finalizar gostaria de saber: o que mais chamou sua atenção com relação a interface do Analysis Sol-Ar?

Até a próxima.


Comentários