Arquiteto Versátil: Abril 2016

29 de abril de 2016

5 Artigos que Mais se Destacaram no Mês de Abril de 2016


O que você acha de juntos revermos os artigos que mais se destacaram no mês de abril de 2016? Este mês foi produzido artigos bem diferentes, por isso, o resultado tanto de visualizações, comentários, curtidas e compartilhamentos surpreenderam. Vamos aos artigos.


Quem de vocês gosta de desenhar? Independente de saber desenhar ou não, todos nós somos apaixonados por desenho, não é? Pensando nisso selecionei alguns sketchs para que vocês possam conferir e se inspirar para começar a fazer seus próprios sketchs. Você poderá até criar o seu próprio sketchbook para mostrar seus amigos, colegas do trabalho e familiares. Alguns dos sketchs que há no artigo são meus e os realizei quando ainda estava no curso de arquitetura e urbanismo. Além dos sketchs encontrados no artigo você poderá ter acesso a muitos outros através dos links que estão no artigo.


Que lâmpada devo utilizar, florescente ou led? Parece simples a resposta, mas na hora de escolher muitas variáveis torna a escolha difícil. Tentando diminuir essas variáveis resolvi criar um artigo mostrando não só as vantagens como as desvantagens que há nessas lâmpadas. Além disso, no artigo você poderá conhecer os outros tiposde lâmpadas que foram utilizadas e como você poderá calcular a quantidade de lâmpadas que será utilizada em um determinado ambiente. Tenho certeza que finalmente compreenderá as diferenças existentes entre a lâmpada florescente e a led e poderá começar a economizar.


Você gosta de ler romance? Se for policial o que me diz? Eu sou apaixonado por livros e se tiver uma investigação em seu enredo o livro se tornará ainda mais gostoso de se ler. Então neste artigo quis mostrar para vocês 3 livros da Editora Arqueiro. Depois que publiquei este artigo, conversei com uma colega que também é blogueira e trabalha em uma livraria, nesta conversa ela me disse que o livro “A Menina Inglesa” é bastante procurado e tem boas recomendações. Quem seria eu para dizer o contrario, por isso, ele está no artigo que mais foi visto este mês. Ficou curioso para saber quais são os outros dois livros?


Em que ponto a arte de rua deixa de ser pichação para ser realmente considerada como arte? Será que realmente há arte? Foi através de um filme, que fui apresentado a ele durante o curso de fotografia, que busquei introduzir uma reflexão. O filme conta a história de um maníaco por registrar, através de uma filmadora, seu cotidiano. E é através desse registro audiovisual que nasce o Mr. Brainwash. O filme mostra diversos artistas de rua como Banksy, Swoon, Seizer entre outros. Este artigo é imperdível. Para quem deseja ter novas referências este artigo é ideal.


O que você acha de conferir alguns efeitos luminosos produzidos pela luz artificial? Foi com essa ideia que produzir um estudo da luz artificial em um pequeno ambiente produzido por mim através dos softwares Sketchup e o Kerkythea. No estudo escolhi três pontos de luz sendo eles um abajur de chão, 3 spots de luz embutidos no forro e um plafon centralizado no teto. Durante o estudo é possível ver de forma individual seus efeitos luminosos como também os três juntos.

Portanto o mês de abril foi realmente surpreendente. A meta estipulada no início do blog foi finalmente atingida. Espero que os próximos meses tenha um desempenho cada vez melhor e assim possamos produzir cada vez mais artigos para você. Se gostou deste artigo, curta comente e compartilhe. Até a próxima.

27 de abril de 2016

A Luz Artificial e seus Efeitos Luminosos sobre o Ambiente


As atividades profissionais que estrutura ou compõe o arquiteto é admirável por diversos fatores, mas uma delas que chama bastante atenção é a possiblidade de revelar para os clientes como ficará o futuro projeto antes mesmo que ele venha a ser concretizado. O projeto de iluminação é um ótimo exemplo disso.

Para que eu pudesse realizar um estudo do comportamento da luz artificial criei um pequeno espaço, contendo 3 pontos de luz. Dentre os vários tipos de iluminarias possíveis e que poderiam ser utilizadas neste ambiente decidir utilizar três tipos: um abajur de chão, 3 spots embutidos no forro e um plafon.


Tanto o abajur tradicional quanto o abajur de chão são iluminarias ou pontos de luz atualmente pouquíssimo utilizado, mesmo assim, é possível perceber nas fotos seu grande potencial. O abajur normalmente era, e deve ser, utilizado quando o usuário necessita de uma fonte de luz pontual em um determinado lugar, no entanto também pode ser utilizado para decorar o ambiente. Este tipo de fonte de luz normalmente é utilizada para realizar atividade especificas como ler, escrever, desenhar, entre outras atividades que necessita de uma fonte de luz pontual.


Os spots atualmente estão em alta. É possível encontrá-los em diversos projetos e em diversos lugares como sala, cozinha, quartos, galerias de arte. Os spots de luz tanto podem ser embutidos no forro como externos evidenciando sua estrutura. Os spots de luz são utilizados para criar um efeito luminoso sobre um revestimento específico que compõe a parede ou sobre os objetos que estiverem preso a parede.


O plafon estaria representando o ponto de luz mais utilizado pelos usuários em sua residência que no caso corresponde ao ponto de luz central de qualquer ambiente, seja uma cozinha, quarto, sala, etc. Este tipo de fonte luminosa é considerada como ineficiente quando utilizada sozinha, mas é a que mais é vista no dia a dia. Dentre os diversos fatores para justificar sua utilização, o fator economia é predominante. No entanto enganado está o usuário que acredita que utilizar uma só fonte de luz é a forma mais eficiente para iluminar um ambiente e economizar. É possível observar nas imagens que o plafon ilumina bem o ambiente, no entanto cria sombras rígidas impedindo que seja visto com clareza todo o ambiente. Para que haja maior clareza será preciso maior luminosidade e isso levará a ter maior consumo de energia.


Portanto ao longo deste artigo foi possível observar os vários efeitos luminosos que as três fontes de luz escolhidas para o projeto proporciona. Além disso, é visivelmente afirmativo que a melhor forma de iluminar um ambiente é ter distribuído pelo ambiente vários tipos de fontes luminosas. Isso não quer dizer mais gasto, somente mais pontos de luz. As imagens produzidas para este artigo foi resultado de um estudo de luz realizado através de um software de renderização chamado kerkethea. Se gostou deste artigo não deixe de curtir, comenta e compartilhar nas redes sociais. Até a próxima.

25 de abril de 2016

Projetos Prontos X Projeto Tradicional: Qual deles devo Escolher?


Durante toda a minha formação para me torna um arquiteto, fui moldado a pensar que repassar um projeto pronto para diversos clientes não era a melhor solução e nem muito menos ético. Claro que esse pensamento ainda é fortemente sustentado, mas sempre que possível questiono tais molduras que foram impostas e que são impostas diariamente.

Na internet é possível encontrar diversos sites relacionados ao tema arquitetura. Dentre os vários sites temos os que oferecem o serviço tradicional de concepção projetual mediados pelos meios digitais (Cris Nunes, Rodrigo Fagá, Arquiteto Versátil) como também há os sites que oferecem os serviços do tipo misto (Monte sua Casa, Só Projetos), que tanto oferecem os serviços tradicionais como oferecem a venda dos projetos como um produto final pronto para ser utilizado pelo cliente. Basta somente o cliente pagar e logo terá o projeto em suas mãos. A principio não há nada de errado em nenhum deles, mas é visivelmente possível perceber as evidentes diferenças projetuais que há entre eles. Devemos sim se utilizar dos meios digitais para alavancar os negócios e atingir o máximo de clientes possível, mas devemos questionar se a quantidade de clientes abarcados é melhor que a qualidade dos clientes atingidos. Em ambos os sites é possível destacar pontos positivos quanto negativos, mas devemos observá-los e a partir deles devemos construir nosso próprio caminho.

A profissão do arquiteto deve ser questionada de todas as maneiras e formas possíveis para que possamos identificar onde erramos ou onde estamos errando para que possamos ter um futuro profissional melhor. As falhas existentes atualmente são resquícios de uma má formação, e que não está somente restrita a formação do arquiteto. Mas como podemos olhar para frente se os cursos estão sempre presos ao passado? Um exemplo disso é o mal uso do desenho a mão ou desenho técnico aplicado aos cursos. A exigência da utilização de meios digitais para a criação de projetos, maquetes, apresentações entre outras atividades é clara, mas não é aplicada de forma eficiente. Isso é somente um grão de areia sobre o imenso oceano que a arquitetura está imersa.

Portanto pelo que é possível observar. As duas maneiras de por em prática o exercício profissional do arquiteto é evidentemente eficiente. No entanto é bastante claro que há diversos problemas tanto aqueles que já existem e que continuaram existindo se não tomarmos uma providencia como os que ainda viram, resultado da má aplicação dos conhecimentos adquiridos pelos profissionais. Então eu lhes pergunto qual tipo de serviço vocês acham mais adequado? Se gostaram do artigo, curta, comente e compartilhe quanto mais gente envolvida no debate melhor. Até a próxima.

22 de abril de 2016

Filme: 3 Filmes sobre Arquitetura Altamente Recomendado


O que você acha de reservar um momento neste final de semana para assistir um ótimo filme relacionado ao tema arquitetura? Para assistir esses filmes não precisa ser arquiteto ou aluno de arquitetura qualquer um poderá assistir e aprender um montão de coisas com eles. Não sei você, mas eu adoro assistir um bom filme e se possível assisto mais de um no dia.

O Homem ao Lado




Quem é este homem? Foi a primeira pergunta que me fiz quando assistir, pela primeira vez, este filme. Será que você também não ficou curioso? O filme foi lançado em 2011 e narra a história de Leonardo, um design industrial que mora em uma casa concebida e construída na América pelo grande arquiteto Le Corbusier. Leonardo vive com sua esposa, Anne, uma filha, Lola, e a empregada, Elba. A vida de Leonardo e sua família era muito tranquila até que o vizinho da casa adjacente decide construir ilegalmente uma janela direcionada para sua casa. O filme argentino busca retratar as varias perspectiva que há na convivência humana nas cidades e os problemas existentes devido a grande aglomeração urbana. A casa concebida por Le Corbusier é mostrada com detalhes no filme isso torna ainda mais atrativo o filme.

A Vida é um Sopro



Este filme, ou melhor, este documentário foi lançado em 2007 e busca narrar a história de Oscar Niemeyer através de uma linguagem simples e descontraída sobre os seguintes temas: arquitetura, a luta politica, suas ideologias, sua paixão pelas mulheres e a própria história do arquiteto. Além do próprio arquiteto Oscar Niemeyer, há diversos outros participantes tão grandiosos quanto ele no documentário como: Saramago, Ferreira Gullar e Chico Buarque. Oscar Niemeyer mesmo depois de sua morte ainda é considerado por muitos como um dos mais importantes arquitetos tanto do Brasil quanto do mundo.

Meia Noite em Paris




Quem não almeja conhecer de perto a cidade luz, ou melhor, Paris não é? O filme lançado em 2011 narra a história de Gil, um roteirista que viaja para Paris com sua esposa e seus familiares. A narrativa é tanto uma fantasia como uma incrível comédia romântica. Durante vários passeios solitários que o personagem principal realiza ele descobre que após a meia-noite ele é transportado para a Paris de 1920. Para quem gosta de história, arquitetura além de outras perspectivas este filme será tudo que você precisa. Você encontrará neste filme uma cenografia fantástica e verá o quanto Paris muda conforme cada época.

Os três filmes revelam um olhar arquitetônico distinto, mas complementar. Um deles retrata as relações humanas em confronto com o espaço físico. Já o outro revela as entrelinhas existentes entre as obras concebidas por um grande arquiteto e suas ideologias. Por ultimo, o terceiro filme retrata um olhar minucioso sobre o processo evolutivo da cidade e das pessoas que a utiliza. Para concluir, gostaria de saber qual dos filmes você mais gostou e irá assistir imediatamente? Depois de assistir conte-me o que acho dos filmes. Gostou do artigo? Então curta, comente e compartilhe com seus amigos nas redes sociais. Até a próxima.

20 de abril de 2016

Inspiração: Fotografando a Cidade

Recife (próximo ao marco zero) - Pernambuco
Para um velho aluno de arquitetura. Rsrsrs. Encontrei na fotografia tanto uma fonte riquíssima de informações arquitetônica como uma forma de registar meu olhar sobre a arquitetura. No entanto essa segunda percepção, só foi realmente percebida depois de um curso bastante longo, mas prazeroso, que fiz relacionado ao universo fotográfico. Foi então que tive a coragem de comprar a minha primeira câmera. Até então me aventurava no universo fotográfico com uma câmera compacta de um amigo. Claro que para o pouco conhecimento que eu possuía naquele momento, ela era realmente incrível. De lá para cá, registrei diversas fotos, em diversos lugares. Claro que alguns lugares por onde passei terminei não registrando alguma fotografia, devido a alguns problemas, mas virão outras oportunidades. Assim espero.

Maceió - Alagoas

O que você acha de se inspirar em algumas fotografias sobre o tema cidade e sair por aí fotografando? Algumas fotografias que estão neste artigo são minhas como a fotografia referente a cidade de Traipu, onde vive 10 anos, e Marechal, onde tive o maior prazer de conhecer junto a uma equipe de historiadores. Quanto as outras fotografias tive a oportunidade de conhecer de perto estes incríveis lugares e até morei também em alguns deles por um tempo. No entanto, o tempo que passei em Maceió, não me recordo de ter visto nem de longe uma paisagem como essa. Rsrsrs. Já a fotografia referente a Recife tive a incrível oportunidade de conhece-la de perto. Para ser mais preciso esta fotografia foi registrada próximo ao marco zero da cidade. Recomendo que você conheça não somente este lugar como outros lugares da cidade de Recife. Como diria o Po de Kung Fu Panda: Recife é “show de bola”. Rsrsrsr. No entanto, tenho que dizer com pesar que o tempo que passei em Recife, eu não conseguir registrar uma si quer fotografia da cidade. Já com relação a cidade de Arapiraca busquei mostrar um dos pontos mais conhecidos da cidade e que é utilizado por muitos usuários da cidade como ponto de referencia. No entanto minha relação com este lugar é mais antiga do que parece. Aos 4 anos de idade, vim de São Paulo, cidade onde nasci, para ser batizado nesta igreja. Incrível não é?

Marechal - Alagoas

Estamos tão imersos na cidade ou no lugar em que vivemos que deixamos nosso olhar torna-se automático. Dessa maneira, deixamos de apreciar os lugares ou percebe-lo sensivelmente como um espaço atrativo e passível de ser fotografado. É percebível essa situação quando nos deparamos com uma fotografia ou diversas fotografias que gostamos e que sentimos a sensação de ter passado por ali e não ter tido o olhar para ter registrado aquela ou aquelas fotografias.

Traipu (beira do rio São Francisco) - Alagoas

Ao fotografar a cidade tanto você poderá registar informações gerais dos lugares como poderá registar os detalhes que poucos pensaram em registar, inicialmente. Tudo dependerá qual a sua finalidade comunicativa do registro fotográfico. Todas as fotografias encontradas nesse artigo revelam para vocês diversas informações que poderão ser utilizadas em outras fotografias. As observe e retire delas as melhores informações para que possa se inspirar e assim registar suas próprias fotografias de sua cidade ou dos lugares que passar.

Arapiraca (ponto referencial da cidade) - Alagoas

Não sei você, mas eu fiquei na maior vontade de sair pela cidade fotografando. O que você me diz de fazermos isso? Além disso, qual das fotografias você mais gostou? Não deixe de curti, comenta e compartir nossos artigos e vídeos. Até a próxima.

18 de abril de 2016

Vídeo: Arquiteto Versátil em Recife - Ep. 1


Nunca imaginei que algum dia iria morar em Recife. No entanto, seja pela necessidade ou pela oportunidade, a experiência de morar na cidade grande será importantíssima para meu amadurecimento. Esse vídeo seria uma forma de crônica audiovisual sobre minha estadia em Recife. Portanto não leve em consideração os erros. Rsrsrs. Ainda permaneço intimidado com a câmera, mas ainda vou me aventurar mais algumas vezes nesse tipo de produção até que essa timidez se dissolva. Rsrsrs. Confira agora o vídeo:


Vocês conhecem Recife? Quais os lugares que vocês conhecem e que recomendam para que eu possa conhecer. Se gostaram do vídeo curta, comente e compartilhe nas redes sociais. Até a próxima. 

15 de abril de 2016

Descoberta Inesperada em um Velho Sótão

Obra de Caravaggio


A casa estava abandonada já fazia anos e seus donos nem ao menos estavam preocupados com ela. No entanto, a renda da família começou a apertar, então, um dos donos decidiu verificar o estado físico da casa para tentar vende-la.

Chegando ao terreno onde a casa estava localizada, quase não conseguiu avista-la, devido a quantidade de mato que havia no terreno. Essa situação deixou-o pasmo. Mas com um facão pôs a abrir um caminho até a casa. Depois de alguns minutos naquela selva achara a porta. Ao tentar abrir, ela se recusou de todas as maneiras, mas quando conseguiu abrir a porta percebera que dentro estava pior que o lado de fora.

Mesmo com toda essa sujeira, espero que a casa ainda esteja em bom estado? pensou enquanto vistoriava a casa. Havia identificado na residência, quatro quartos, amplos e ventilados, uma bela escada toda em madeira, logo no hall da entrada da casa, uma cozinha entre outros cômodos ainda mais surpreendentes.

Tenho que realizar uma limpeza nesta casa, imediatamente. Somente assim poderei identificar o seu real potencial.

Depois da ligação feita à equipe de limpeza contratada, levou três dias, incessantes, para que a limpeza realizada pudesse revelar a real beleza que havia por debaixo daquela sujeira. Antes de despachar todos, resolveu verificar se todos os cômodos da casa haviam sido limpos.

Passou por cada cômodo da casa, vistoriando, no entanto em um dos cômodos identificou uma velha porta horizontal rente ao forro.

O que será isso?

Havia um tipo de fechadura que impedia que ela fosse aberta. Como não tinha a chave chamou um dos empregados e pediu que desse um jeito para abri-la, e saiu. Depois de algum tempo finalmente a porta foi aberta e com ela uma velha escada veio a baixo, derrubando o jovem que tentava abrir a porta. Ao ouvir o baque, correu até o andar superior. Ao chegar avistou o empregado ao chão e a porta aberta. Por sorte, o jovem não se machucou.

Uma escada?

Tomado por sua curiosidade, nem ao menos questionou se o jovem estava bem e logo foi subindo as escadas. Ao subir encontrou, mais sujeira. Tragam uma lanterna. Depois de alguns minutos no sótão foi identificado diversos objetos como: uma velha mesa de carvalho, uma poltrona, algumas caixas velhas e um grande quadro sobre a parede coberto por um tecido, parecia que não havia nada de grande valor.

Quero tudo isso limpo ainda hoje afirmou-o.

Então a equipe pôs a trabalhar. Ao fim da tarde. Ao subir ao sótão com o espaço agora limpo avistou com clareza o quadro. E ficou espantado com aquilo.

Não acredito.

O que foi senhor? Perguntou um dos jovens que estava trabalhando na limpeza.

Nada.

Depois que todos haviam saído ligou para amigo, especialista em Caravaggio. Achei um velho quadro que acho que será de seu interesse vê-lo.

Serio!?

Quando você poderá vim vê-lo?

Amanhã logo cedo. Então desligou o telefone.

Ao chegar quis logo ver o quadro.

Não acredito!

Então é original?

Não sei dizer, mas me parece muito com um original. Temos que realizar algumas analises para determinar sua originalidade, mas até lá são somente especulações. Mas se for original, meu amigo, você não precisará nem vendar a casa.

Tomara.

11 de abril de 2016

Vídeo: Qual a Tua Obra de Mário Sérgio Cortella


Você conhece o filósofo, palestrante... Mário Sérgio Cortella? Mário Sérgio Cortella é um profissional versátil. Como filósofo Mário Sérgio Cortella busca aplicar de forma caprichosa seu ponto de vista em suas palestras e encontros com seus admiradores de forma a refletir sobre a vida e tudo que a compõe.

O que você acha de iniciar esta semana refletindo sobre a seguinte questão: qual a tua obra? Mário Sérgio Cortella através de uma palestra espetacular nos põe em cheque sobre o que estamos ou o que deveríamos fazer de nossas vidas. Então Repito qual a tua obra?

A vida é curta para ser pequena. Dessa maneira não podemos deixar passar nenhum momento em branco. Devemos viver cada momento de nossas vidas intensamente. A vida nos propõe diariamente grandes desafios. Queria você seguir em frente diante deles ou parar, é de total escolha sua, está opção. Portanto, somos responsáveis por tudo que acontece ou deixa de ocorrer em nossas vidas. Então qual a tua obra? Vamos apreciar juntos a palestra de Mário Sérgio Cortella. Divirta-se e aproveite para refletir...



Podemos realizar o impossível, se assim desejar. Não importa onde estamos, com quem estamos ou em qual condição vivemos. Temos a capacidade de construir, reconstruir e até destruir nosso próprio mundo. Devemos fazer o nosso melhor dentro das condições que possuímos, almejando um dia ter melhores condições para que possamos fazer melhor ainda. Então qual a tua obra?

Portanto mantenha sempre aberta sua mente, para aprender coisas novas, conhecer pessoas diferentes, ajudar as pessoas a sua volta e assim por dia. Não importa o início ou o fim da vida. O que realmente importa é a forma que escolhemos viver. Não seja uma pessoa morna, busque ser a pessoa que você gostaria de ser todos os dias e todos os momentos, mesmo que haja problemas. Então se gostou do artigo e da palestra desse incrível filósofo contemporâneo, não deixe de compartilhar, curtir e deixar seu incrível pensamento, logo abaixo. Até a próxima.

8 de abril de 2016

Livros: 3 Livros que Deixarão Você sem Ar


Você gosta de romance policial? Se ainda não teve a oportunidade de ler nem que seja um conto, agora é a hora. Eu por exemplo quando li meu primeiro livro deste gênero fiquei encantado. Claro que minha paixão por este gênero não surgiu através dos livros, e sim, através das HQ e séries. Dessa vez trago para vocês três histórias de tirar o folego. Todos os três livros selecionados são da Editora Arqueiro.


O livro escrito por John Verdon narra à história de um especialista em mistérios chamado David Gurney. David Gurney é um detetive aposentado do departamento de polícia de Nova York e que ao longo da trama busca determinar se a vítima (Carl Spalter) tinha sido morta ou não por sua esposa (Kay Spalter). No decorrer da história David percebe que há irregularidades na investigação que poderia alterar a decisão do júri. Além disso, David percebeu que havia várias pessoas que poderiam está envolvidas no crime, que mal foram consideradas suspeitas. Como será que esta trama termina? Ficou curioso tanto quanto eu?


O escritor Daniel Silva em seu livro narrar a história de uma linda e inteligente jovem inglesa chamada Madeline Hart, que tem uma trajetória cheia de sucesso após uma infância pobre, mas no fundo ela guarda um segredo obscuro. Ela é amante do primeiro-ministro Jonathan Lancaster e isso induz os sequestradores a chantageá-lo ameaçando Madeline de morte. Temendo um escândalo, Lancaster resolve lidar com o caso sem a polícia. No entanto, Gabriel Allon ao se aproximar do dia da execução de Madeline, imerge em uma angustiante empreitada para resgatá-la. Mesmo com todos os riscos, Gabriel Allon acredita que sua busca será bem-sucedida. Fiquei querendo saber mais sobre a jovem Madeline Hart e seu envolvimento com Lancaster e você?


Este livro foi escrito por duas autoras: Lene Kaaberbøl e Agnete Friis. A narrativa conta a historia de Nina Borg uma enfermeira da Cruz Vermelha que busca cuidar, em segredo, dos imigrantes ilegais. Devido a isso, sua amiga (Karin) lhe pede um favor e ela acaba aceitando. Então Nina vai até uma estação ferroviária de Copenhague buscar uma mala no guarda-volumes. Dentro, encontra um menino de 3 anos nu, dopado, mas vivo. No decorrer da trama ela se depara com diversos personagens imersos a diversos problemas. Então ela parte em busca de respostas para entender o que está acontecendo, mesmo que para isso, arrisque sua própria vida. Na trama policial são poucas mulheres que estão à frente de uma investigação. Claro que ela não é uma especialista, mas está com um enorme caso policial em suas mãos. O que será que irá realmente acontecer com Nina Borg? O que você acha?

Não sei você, mas eu fiquei sem folego só de conhecer as três histórias. Você como eu desejar saber mais sobre essas três incríveis histórias, então corre até a Editora Arqueiro, ela disponibiliza em PDF parte dos livros. Se gostar não deixe de adquiri-los. Então vocês já leu algum deles? Conte-me. Se tiver algum livro que goste do gênero policial e quer compartilhar com a gente deixe nos comentários. Até a próxima.

6 de abril de 2016

Sketchbook – Registo em Esboços Rápidos do Cotidiano

Rafael Nascimento dos Santos

Sempre gostei de desenhar, acho que um dos motivos para ter escolhido o curso de arquitetura foi o fato de gostar de desenhar. Claro que a profissão não se resume a isso, mas saber registrar as ideias através de simples rabiscos e que seja compreensível é de grande importância para a comunicação entre os profissionais da área.

urbansketchers-dc

Vocês já ouviram o termo Sketchbook? É possível encontrar na internet diversos exemplos inspiradores que você poderá se inspirar e a partir disso poderá criar o seu próprio sketchbook. O sketchbook seria simplesmente um caderno que você poderá leva para todos os lugares e este caderno servirá como meio para registrar todas as suas ideias gráficas relacionadas ao trabalho, situações cotidianas entre outras coisas que achar necessário registrar em rápidos esboços.

switzerland urbansketchers

Durante o curso de arquitetura tive uma matéria chamada expressão gráfica. Durante as aulas realizávamos diversos desenhos tanto relacionado a estudos gráficos aplicando linhas, pontos e traços, como realizávamos alguns desenhos artísticos, como desenhos de pessoas, lugares e objetos entre outros. Era incrível cada aula. Sinto falta delas.

jamesrichardssketchbook

Então que tal você se inspirar em alguns sketchbooks e começar a realizar seus próprios sketchs? Mesmo que ache que não saiba desenhar, perceberá que qualquer um pode registrar através de esboços, incríveis trabalhos. Fiz um vídeo falando de alguns livros de arquitetura que poderia ajudar os alunos durante o curso. Um desses livros mostra diversas técnicas para que você possa aprimorar suas técnicas de desenho como também possa aprender a desenhar. Não deixe de conferir.

lizsteel

A primeira imagem é de minha autoria. A realizei durante uma das aulas de expressão gráfica. Na verdade esta imagem foi criada para mostrar a uma colega como é fácil e divertido desenhar. Não sei se ela compreendeu a mensagem, mas o resultado do esboço ficou muito bom. Não querendo me gabar. Rsrsrs. Já as outras imagens foram encontradas na internet através de blogs especializados na produção de sketchbooks. O que acharam dos sketchbooks que encontrei na internet? Não deixe de conferir os outros trabalhos já realizados por cada artista. Eles vão gostar de sua visita. Até a próxima.

4 de abril de 2016

Que Tipo de Lâmpada Devo Utilizar, Florescente ou LED?


Pode parecer um ato simples escolher uma lâmpada e por em sua sala, quarto, cozinha entre outros espaços, mas não é. Há uma grande variedade de lâmpadas no mercado e que contém diversas vantagens e desvantagens que devem ser observadas anteriormente antes de adquiri-las. Além disso, você ou um profissional devem determinar a quantidade de lâmpadas que irá compor o ambiente para que a iluminação seja bem distribuída abarcando todo o espaço. Descobriremos juntos ao longo deste artigo que tipo de lâmpada devemos utilizar em nosso projeto?

Ao longo da história das lâmpadas houve uma grande evolução até chegar às lâmpadas de LED. Já tivemos as lâmpadas incandescente, florescentes e agora as LED. Claro que ainda há muitas outras lâmpadas que ainda estão sendo utilizadas, mas há alguns tipos que deixaram de ser utilizadas por diversos fatores. Confira agora quais os outros tipos de lâmpadas que já existiram ao longo da história.

Como já sabemos quais são os tipos de lâmpadas que existiram na história. Agora devemos saber como determinar a quantidade de lâmpadas que irá ser utilizada em um determinado ambiente. Quando estava cursando arquitetura na UFAL meus professores me ensinaram um método bem simples para determinar a quantidade de lâmpadas. No entanto com a evolução das lâmpadas, percebi na necessidade de aprender outras maneiras para calcular a quantidade de lâmpadas. Claro que o método antigo continua funcionando, mas deve-se levar em conta a equivalência em watts entre as lâmpadas antigas e as lâmpadas atuais. No método antigo nós alunos realizávamos o cálculo observando a quantidade de watts/m² para cada ambiente, já nesse método atual é observado à quantidade de lúmens/m² para cada ambiente. Utilize o método que for melhor para você.

Depois de tudo isso, é necessário retomar uma questão pontuada inicialmente. Que tipo de lâmpada devo utilizar? Vimos que há uma grande variedade delas no mercado e que é possível estabelecer a quantidade necessária de lâmpadas para um determinado ambiente através de um cálculo simples. Então para que possamos ter uma ideia de qual lâmpada é a melhor temos que ver uma comparação entre as lâmpadas incandescentes, florescentes e LED. Pelo que foi possível ver a lâmpada de LED é a melhor de todas. Claro que há algumas desvantagens, no entanto suas vantagens são maiores e por isso se tornou a melhor no Rank das lâmpadas. Mas se você ainda está na dúvida, veja uma análise mais aprofundada sobre a lâmpada de LED. Acredito que será o suficiente para que você possa trocar todas as suas lâmpadas de sua casa por LED.

Portanto vimos que há diversos tipos lâmpadas e que é possível calcular a quantidade de lâmpadas de um determinado ambiente. Além disso, vimos que a melhor lâmpada dentre as várias existentes seria a lâmpada de LED. Para complementar sua leitura veja também os tipos de iluminarias que você poderá utilizar em seu projeto. Não deixe de curtir, comentar e compartilhar e se inscrever no Canal do Arquiteto Versátil. Até a próxima.

1 de abril de 2016

Artistas de Rua: Banksy vs Mr. Brainwash – Ilusões do Mundo Contemporâneo


Durante as três semanas que fiquei em Recife pude presenciar que em todos os lugares que passei havia a presença de diversos exemplos de arte de rua. Para algumas pessoas este tipo de arte ou expressão artística não é vista com bons olhos. Às vezes até concordo com essa visão, no entanto, imerso a todo este caos urbano, seja artístico ou não, é possível encontrar diversas perolas artísticas que dificilmente acharia em outro lugar.

Não foi a primeira vez que tive contato com este tipo de arte. A primeira vez foi durante o curso de fotografia ocorrido enquanto eu estava cursando arquitetura. Inicialmente achei que iria somente aprender sobre fotografia, mas minha visão foi destruída, reconstruída, retorcida e desconstruída durante todo o processo de aprendizado. Claro que todo esse processo tornou minha visão mais precisa e clara sobre a fotografia e tudo que há relacionada à arte de registrar o momento.



Dentre os vários momentos que tive durante todo o curso de fotografia, um dos momentos que ficou marcado em minha mente e que busquei relembrar hoje está relacionado ao tema arte de rua. A professora de fotografia nos apresentou o artista de rua chamado Banksy através de um filme chamado “A Banksy Film” feito a partir do olhar de Thierry Guetta um “visionário” dos anos 80. O filme não trata somente de Banksy, mas busca tratar sobre vários artistas de rua como Shepard Fairey, Swoon, Seizer, Neckface, sweet tooth & cyclops, Ron English, Dotmasters, entre outros artistas que foram fundamentais para fomentação desta arte. A produção buscou mostrar as várias formas que a arte de rua (street art) se manifestou. Foi a partir de um vídeo registrado por Banksy onde ele próprio fixava alguns de seus quadros em um museu que Thierry Guetta ficou instigado a saber mais sobre Banksy. Então foi dado início a corrida em busca de Banksy...


Thierry Guetta através de sua obsessão em registrar todos os momentos que compõe sua vida diária, conseguiu registrar um marco histórico relacionado à arte de rua. No entanto, a forma final resultante deste registro chamado Life Remote Control não foi bem recebida por aqueles que fizeram parte do filme. Foi a partir dessa negativa que Thierry Guetta foi instigado a investir em sua carreira de artista de rua passando a ser conhecido como Mr. Brainwash. Sua produção artística foi reconhecida por uma multidão. No entanto sua visão e percepção artística, além de seu tempo, revela e propõe um questionamento sobre a veracidade da produção artística. Será Mr. Brainwash um verdadeiro artista ou não? E quanto à produção artísticas ou a arte ela é uma mera ilusão? Conte-nos. Até a próxima.